Em Sorriso, arrecadação cai R$ 34 mi e prefeito decreta contenção de gastos

Até 31 de dezembro, o prefeito de Sorriso, Ari Lafin (PSDB), decretou contenção de gastos. A decisão foi tomada após a estimativa de que a arrecadação do município deve cair R$ 34 milhões.

Foram cortados gastos que não sejam essenciais para a administração pública, como compra de veículos, equipamentos, passagens aéreas, veiculação de matérias publicitárias, com exceção de propaganda institucional.

Na lista da economia entrou também a suspensão de eventos culturais, esportivos, entre outros, como comemorativos, por exemplo, que gerem despesas para a máquina pública.

A frota da prefeitura também  entrou em sistema de regulação. Funcionários não podem utilizarem os veículos aos finais de semana e feriados, bem como antes das 7h e após às 18h. Somente poderão ser utilizados com prévia autorização ou em viagens oficiais.

A previsão inicial era que a prefeitura arrecadaria cerca de R$ 284 milhões. Entretanto, a estimativa de R$ 250 milhões. Uma queda de quase 12%.

“Equilíbrio das contas pública, para que não haja restos a pagar, salvo aquelas previsto a longo prazo”, traz trecho do decreto.

O documento ainda pede a colaboração dos funcionários com orientações para redução das despesas com telefone, água, material de expediente, gêneros alimentícios, material de higiene e limpeza, serviços de terceiros e energia.

Também foram cortados o pagamento de horas extras, licença prêmios a funcionários públicos e diárias.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA