Promotor pede ao STJ nova prisão de pastor Paulo Roberto acusado de estupro em Cuiabá

Pastor Paulo Roberto evangelizando em Lanchonete | Fato e Noticia

O promotor Marcos Regenold Fernandes,  ingressou com recurso junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) contra a decisão que determinou a liberdade do pastor acusado de estupro Paulo Roberto Alves, 52 anos.

A decisão dos desembargadores de Mato Grosso teria ido contra a orientação do próprio STJ quanto à revogação da custódia cautelar ser baseada exclusivamente em predicativos pessoais favoráveis, como o pastor ser réu primário, ter residência fixa e emprego.

Paulo obteve liberdade em 11 de outubro, por decisão da Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). O pastor ficou preso durante 183 dias.

O promotor destaca em documento que a necessidade de nova prisão e não apenas aplicação de medidas cautelares.

O trecho do documento diz: “Mesmo após considerar existentes indícios suficientes de autoria e materialidade, entendeu por bem soltar o recorrido, com algumas condições, justificando assim a plena recorribilidade, cabimento e adequação do presente Recurso Especial”.

O promotor aponta ainda que o recurso é tempestivo e merece acolhimento do STJ, uma vez que é “inegável” que, na condição de pastor, Paulo Roberto tem enorme poder de persuasão e influencia sobre os fieis chegando a ser considerado enviado divino.

Isso, segundo o promotor, favoreceria a prática de novos delitos sexuais, que caracteriza sua periculosidade ao convívio social.

Apesar do MP apontar a possibilidade de novos crimes, o pastor já anunciou sua inocência, disse que retornou à Igreja Assembleia de Deus e vai “operar milagres” pelo país. Paulo Roberto está morando no bairro Dom Aquino e continua atuando na sua `profissão`de discípulo.

TJ Solta Pastor Paulo Roberto acusado de Estuprar Adolescentes

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA