Servidores pressionam contra votação da RGA

Foto: Marcos Lopes/ALMT

Servidores públicos que cobram pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) estão nesse momento na Assembleia Legislativa para pressionar deputados a não votar proposta de parcelamento da reposição salarial. O protesto é feito ao mesmo tempo em que a bancada de oposição promete pedir vistas para adiar a apreciação.

A última mensagem anunciada pelo governo prevê parcelamento de 6% em três vezes (setembro, janeiro e abril de 2017) e o pagamento do restante (5,28%) ocorrerá se houver economia de gasto com pessoal abaixo de 49% da receita, sendo 2,64% a serem pagos em maio de 2017 e 2,64% em setembro de 2017 se registrada economia no primeiro e no segundo quadrimestre. Por lei, deveriam ser pagos 11,28% na folha passada de maio.

Servidores que chegam à Assembleia têm bolsas revistadas e só entram nas galerias para acompanhar a sessão após receber senhas, o que dificulta o tradicional acesso. Até policiais militares reforçaram a segurança. Os trabalhadores temem uma votação diante dos rumores de que a mensagem teria chegado à Casa, o que não foi confirmado.

Deputados de oposição, como Zeca Viana (PDT), prometem pedir vistas se o projeto for colocado em votação. Líder do governo na Casa, Wilson Santos (PSDB), garante que a proposta seguirá primeiramente para as comissões e não terá aprovação surpresa.

O clima na Assembleia esquenta no mesmo dia em que uma servidora grevista foi atropelada nas proximidades da Secretaria de Gestão (Seges) por outra servidora que não paralisou as atividades. O motorista foi encaminhado para a Central de Flagrantes.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA