Sindicato defende ampliação da alíquota de ICMS de boi em pé para outros Estados

0
553
Foto - Lívia Lamim

A saída de gado para abate em outros Estados preocupa pecuaristas de Mato Grosso e instituições de suporte ao setor, pois entre 2013 e 2015, 1,7 milhões de animais foram para outras unidades da federação. Para diagnosticar a situação, o Sindicato das Indústrias de Frigoríficos do Estado (Sindifrigo) contratou estudo junto à PR Consultoria.  Como freio à evasão de gado em pé, o sindicato defende ampliar de 7% para 12% a alíquota do ICMS para vendas interestaduais.

Os empreendedores do segmento começam a utilizar o argumento de que com o rebanho retido em território mato-grossense, haveria incremento de cerca de R$ 60,2 milhões em ICMS e manutenção de emprego no caso dos animais enviados a outros Estados. Os dados constam de reportagem do Valor Econômico do fim de semana.

Entre os 3 anos, diversas unidades frigoríficas foram fechadas em Mato Grosso e o governo estadual deixou de arrecadar cerca de R$ 200 milhões. O abate dentro do Estado, ainda seria necessário para abastecer 5 plantas e mantido 2.500 empregos diretos.

Ainda de acordo com a publicação, a tese de ampliar a arrecadação de ICMS se espalha para outras atividades econômicas, como consumo de energia, setor de embalagem e manutenção e consumo de combustíveis. Os três segmentos considerados entre 2013 e 2015 teriam geradom recolhimento de imposto de R$ 397,4 milhões.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA