Sinop: Vereador diz que mandato não foi cassado e que afirmações são inverídicas

Tony Lennon ainda fez questão de ressaltar que suas contas não foram reprovadas; apenas não foram aceitas

Após o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) negar o recurso do vereador Tony Lennon (PMDB), que teve as contas desaprovadas no início do ano por “utilizar recursos próprios em valor superior ao patrimônio declarado no registro de candidatura”, o parlamentar se pronunciou sobre notícias veiculadas na imprensa, dando conta que seu mandato já seria cassado.

“Eu acredito que há uma desinformação muito grande. Em primeiro lugar, minhas contas não foram reprovadas. Não chegamos neste ponto ainda, elas apenas não foram aceitas. Houve uma controvérsia em relação a um valor utilizado na campanha que eu não havia declarado, proveniente da minha rescisão do SBT Sinop, mas isso já será esclarecido. De qualquer forma, nenhuma destas decisões cassam mandatos por si só”, esclareceu o parlamentar.

No apelo que ingressou no Tribunal, o vereador alegou que se equivocou ao registrar a candidatura, acreditando que deveria ter declarado apenas bens móveis e imóveis, e não apresentando os valores que ganhava mensalmente e alguns já declarados no Imposto de Renda.

Entretanto, para o relator – desembargador Pedro Sakamoto – a desistência do advogado do vereador e a ausência de indicação de um novo procurador prejudicaram o prosseguimento do recurso. O magistrado entendeu que Tony descumpriu a determinação e foi omisso para nomear outro advogado, deixando transcorrer o prazo “sem a devida regularização da representação processual”.

“Eu sei que errei em não ter um advogado no prazo certo, mas isso foi um equívoco do pessoal que contratei em Cuiabá, porque tinha que me reportar lá. Agora tenho convicção de que tudo será esclarecido”, disse Lennon.

Além de Tony, o juiz da 22ª Zona Eleitoral de Sinop, Cleber Luís Zeferino de Paula, desaprovou as contas de campanha dos vereadores Maria do Socorro, a “Professora Branca”, e Maria José (ambas do PMDB). Outros dois vereadores eleitos com as contas reprovadas tiveram os recursos acatados e as decisões revertidas. Foram os casos de Fernando Brandão (PR) e Gilmar Flores, o “Joaninha” (PMDB). Brandão acabou tendo mandato cassado em agosto e ajuizou recurso para tentar reassumir o mandato.

Perseguido

Questionado se as notícias que davam certa sua cassação seriam de cunho político, Lennon se limitou a dizer que seriam no mínimo maldosas, porém, mais do que isso, falta de vontade da imprensa.

“Eu sou da imprensa e sei como funciona. Era só me ligarem que eu esclareceria tudo. Não sei a quem beneficia esse tipo de matéria contra mim, mas quero crer que estou lidando com pessoas de bem”, disse.

Ainda questionado pela reportagem se esse tipo de notícia seria uma retaliação aos seus discursos efusivos e fortes na bancada – que incluem acusações contra os pares de pagamentos de cestas básicas e até mesmo uma apresentação de um rato de plástico em uma das ocasiões mais icônicas de suas declarações –, Tony apenas disse que queria acreditar que isso não teria relação, “Tomara que não tenha nada haver’, finalizou. 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA