Tempos difíceis na política local e nacional

Fernando Roberto Souza/Divulgação.

É fato que vivemos tempos muito estranhos em nossa história atual. Após termos atravessado um período de ditadura e termos conseguido restabelecer a democracia em nosso país parece que chegamos à exaustão. Dia após dia as principais lideranças da República são envolvidas em um MAR DE LAMA de corrupção. Os altos escalões da República estão contaminados pelos desmandos e pelas falcatruas. Assistimos atônitos aos telejornais e a internet diariamente trazendo informações sobre os esquemas mais sofisticados no que diz respeito à corrupção.

A impressão que tenho é como se estivéssemos em um pesadelo que se renova a cada instante e que nos impede de superarmos este estado de torpor. A medida que as investigações avançam e as delações são “ vazadas “,  tenho a certeza de que não existe a mínima condição de vivermos sob as regras do atual sistema político partidário. Ele está em metástase e só falta enterrá-lo para que possamos, enfim, seguirmos em frente.

Se não bastasse o farto material envolvendo a Presidência da República nas mais sórdidas tramoias, em nosso Estado de Mato Grosso não vivemos situação muito diferente.

O atual governo, inoperante, já não tem mais nada a oferecer à população (se é que algum dia teve). Tenta passar uma pose de normalidade enquanto o incêndio está em sua cozinha. Setores estratégicos em uma Administração patinam e não conseguem apresentar resultados minimamente satisfatórios ao povo. Os sindicatos já preparavam uma imensa GREVE com vistas a pressionar o governo a negociar. Algo impensável para um AUTOCRATA como Pedro Taques. O governador padece do mal de não exercer a democracia e nem respeitá-la. Sua pose IMPERIAL só reforça a ideia de que esse cidadão não está acostumado a conviver com o contrário. Pobre Mato Grosso.

Para fechar com “chave de ouro“, o governador passou a flertar com o perigo quando autorizou o GRAMPO ILEGAL de autoridades, advogados, jornalistas e amantes. Isso mesmo, autorizou a utilização do aparato policial para xeretar a vida da amante do ex-secretário da Casa Civil e PRIMO do governador, o senhor Paulo Taques. Entre outras bisbilhotagens criminosas.

Parece que o mínimo que restou de bom senso ao governador foi para o espaço e que lembra muito a frase do ex-ministro Jarbas Passarinho na reunião que discutia-se a edição do famigerado AI-5: “ às favas com os escrúpulos “.  Às favas o bom senso e o respeito à democracia e ao Estado Democrático de Direito. O que importa é eu me manter informado da vida dos meus adversários às custas do dinheiro público. Algo que outrora o governador investigava e combatia com unhas e dentes.

A atitude tomada pelo governador não é somente demonstração da FALTA DE PULSO, mas, também, de desespero. Desespero porque foge a seu controle a situação desastrosa pela qual o Estado está encrencado. A coisa só não está pior por conta de um Legislativo inoperante e covarde. O Legislativo acoberta os maus feitos do governador e isso acaba por dar uma sobrevida ao mesmo.

Em resumo, essa é a triste realidade de um país e de um Estado que vivem tempos muito estranhos e que, perigosamente, estão por ultrapassar a tênue linha que separa a DEMOCRACIA DO AUTORITARISMO E DITADURA.


Fernando Roberto Souza Santos é advogado, historiador e mestre em Política Social/UFMT. E-mail: fernandorobertosouzasantos@gmail.com

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA