Veja mostra ‘desfaçatez’ de empreiteiros na fraude de R$ 56 milhões na Seduc

0
500

Criticada quanto ao conteúdo por muitos, mas lida ainda por milhares de formadores de opinião, a edição digital da revista Veja trouxe relato da fraude em licitações de R$ 56 milhões nas obras de construção e reformas de escolas da Secretaria de Educação (Seduc) do governo Pedro Taques (PSDB). A abordagem foi crítica e irônica, ao citar, por exemplo, que “Mato Grosso vive situação inusitada: a corrupção é democrática e se espalhou pelos três Poderes”.

A publicação cita prisões do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), do ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, e processo na justiça do ex-presidente do Tribunal Regional Eleitoral, Evandro Stábile. “A desfaçatez de mais de 20 empreiteiros reunidos em uma sala para combinar detalhes de formação de cartel no Mato Grosso, impressiona”, conta a reportagem.

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) atuou na semana passada com a Operação Rêmora na Seduc, após colher indícios de fraudes com gravações autorizadas pela justiça. Nelas, cerca de 20 empreiteiros combinavam valores das licitações e de propinas que variavam entre 3% e 5% do total de 23 obras. A operação derrubou do cargo o secretário de Educação, Permínio Pinto (PSDB).

De acordo com o coordenador do Gaeco, promotor Marco Aurélio de Castro, as investigações preliminares foram feitas com a tese da ação controlada para detectar crimes e modo de operação do grupo criminoso. “Em 90% das obras licitadas, as combinações (de preços) se confirmaram”, diz.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA