mais
    spot_imgspot_img
    spot_imgspot_img
    HomePolíticaPolitização das Forças Armadas está superada e devemos virar a página, diz...

    Politização das Forças Armadas está superada e devemos virar a página, diz Barroso – Política – CartaCapital

    PUBLICAÇÃO

    spot_imgspot_img
    spot_imgspot_img
    spot_imgspot_img
    spot_imgspot_img
    - Publicidade -



    O presidente do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso afirmou, neste sábado 6, que considera superada a politização das Forças Armadas e que é preciso saber “virar a página”.

    Nessa semana, o ministro participa do Brazil Conference, em Cambridge, nos Estados Unidos. Aos jornalistas presentes, o magistrado disse que as Forças Armadas tiveram um “comportamento exemplar” nos 35 anos de vigência da atual Constituição Federal e que, sem a instituição, não há Estado brasileiro.

    “De modo que eu não participo desse processo de desapreço às Forças Armadas, antes, pelo contrário. Porém, é fato que, infelizmente, em alguns momentos dos últimos anos houve uma politização indesejada e incompatível com a Constituição”, disse.

    “Acho que isso já está superado e a gente na vida deve saber virar as páginas”, completou.

    O ministro ainda comentou sobre o julgamento em curso na Corte sobre o “poder moderador” das Forças Armadas, tese criada por bolsonaristas para justificar uma intervenção militar no Brasil.

    Em seu voto, o ministro esclareceu que a lei brasileira não permite a intervenção do Exército nos demais Poderes. “Não existe poder moderador numa democracia. Nem o Judiciário, tampouco, na minha visão, é poder moderador”, disse.

    “Acho que nunca houve dúvida real sobre o seu sentido [do artigo 142 da Constituição]”, afirmou o Barroso neste sábado.

    Questionado pelo cientista político Steven Levitsky sobre o protagonismo do STF após o 8 de Janeiro, Barroso afirmou que os eventos mostraram que o Brasil “estava mais perto do colapso do que havíamos antecipado”.

    “Eu realmente penso que devemos voltar a uma Suprema Corte menos proeminente o quanto antes for possível, mas nós não podemos agir como se as coisas não tivessem acontecido. Se não julgarmos, da próxima vez as pessoas vão pensar que poderão fazer o mesmo”, completou.



    Informações Carta Capital

    MAIS RECENTES

    Ataque ucraniano deixa 2 mortos e 22 feridos na Crimeia – Mundo – CartaCapital

    Duas pessoas morreram e 22 ficaram feridas neste domingo 23 em Sebastopol, na...

    A uma semana de eleições na França, pesquisas antecipam 35% dos votos para a extrema-direita – Mundo – CartaCapital

    A França entra na última semana da campanha-relâmpago para as eleições legislativas antecipadas,...

    Confira quem foi bem e quem decepcionou pelo São Paulo contra o Vasco

    André Silva: o atacante aproveitou bem a rara oportunidade recebida por Zubeldía como...

    Os petroleiros de Lula – Opinião – CartaCapital

    Em maio de 1995, os petroleiros realizaram uma greve nacional por reajuste salarial...

    Mais Notícias

    Ataque ucraniano deixa 2 mortos e 22 feridos na Crimeia – Mundo – CartaCapital

    Duas pessoas morreram e 22 ficaram feridas neste domingo 23 em Sebastopol, na...

    A uma semana de eleições na França, pesquisas antecipam 35% dos votos para a extrema-direita – Mundo – CartaCapital

    A França entra na última semana da campanha-relâmpago para as eleições legislativas antecipadas,...

    Confira quem foi bem e quem decepcionou pelo São Paulo contra o Vasco

    André Silva: o atacante aproveitou bem a rara oportunidade recebida por Zubeldía como...