mais
    spot_imgspot_img
    spot_imgspot_img
    HomePolíticaLíder do União Brasil indica que orientará o partido a votar para...

    Líder do União Brasil indica que orientará o partido a votar para soltar Chiquinho Brazão – Política – CartaCapital

    PUBLICAÇÃO

    spot_imgspot_img
    spot_imgspot_img
    spot_imgspot_img
    spot_imgspot_img
    - Publicidade -



    O líder do União Brasil na Câmara, Elmar Nascimento (BA), indicou nesta terça-feira 9 que tende a orientar sua bancada a voltar pela libertação do deputado Chiquinho Brazão (RJ).

    Chiquinho e o irmão Domingos Brazão, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, foram presos em março pela Polícia Federal sob a suspeita de mandar matar a vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada em 2018. Na mesma operação, a PF prendeu o ex-chefe da Polícia Civil Rivaldo Barbosa, suspeito de agir para proteger os participantes do crime.

    O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), confirmou que o plenário votará o parecer sobre a prisão nesta quarta-feira 10, logo após a análise da Comissão de Constituição e Justiça.

    “Vou orientar a favor da Constituição. A Constituição não tem previsão de prisão preventiva para parlamentar. Não estou entrando no caso de fulano ou sicrano”, disse Nascimento, nesta terça, após uma reunião com deputados do União. “Primeiro, a preliminar (na CCJ) vai ser votada para ver se cabe (a prisão), e eu acho que não cabe. Não cabe prisão preventiva.”

    Com 58 deputados, o União Brasil tem a terceira maior bancada da Câmara, atrás do PL (95) e da Federação PT/PV/PCdoB (81).

    A ordem de prisão preventiva partiu do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, e foi chancelada pelo plenário da Corte.

    A prisão de Chiquinho, contudo, ainda precisa ser confirmada pela Câmara. De acordo com a Constituição, um deputado só pode ser preso em flagrante de crime inafiançável e, por isso, a Casa precisa referendar a prisão por maioria absoluta, em votação aberta. O primeiro passo é a análise na CCJ.

    Em um ofício encaminhado à Câmara, Alexandre de Moraes explicou que o flagrante delito atribuído a Chiquinho se refere ao crime de obstrução de Justiça em organização criminosa.



    Informações Carta Capital

    MAIS RECENTES

    Inquéritos de Moraes reposicionam Cármen na liberdade de expressão

    A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), estará, nos próximos meses,...

    Pimenta diz que extrema-direita se aproveita da tragédia e nega “politização”

    O ministro Paulo Pimenta, da Secretaria Extraordinária de Apoio à Reconstrução do Rio...

    Mais Notícias

    Inquéritos de Moraes reposicionam Cármen na liberdade de expressão

    A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), estará, nos próximos meses,...

    Pimenta diz que extrema-direita se aproveita da tragédia e nega “politização”

    O ministro Paulo Pimenta, da Secretaria Extraordinária de Apoio à Reconstrução do Rio...